Menu

Pastor fala sobre os perigos do marxismo cultural nas igrejas

Eguinaldo Hélio de Souza lembra que "não há como conciliar cristianismo e marxismo"


Pastor fala sobre os perigos do marxismo cultural nas igrejas
Pastor fala sobre os perigos do marxismo cultural nas igrejas

Na guerra política virtual em que tantos brasileiros se meteram nos últimos anos, um termo chama a atenção de todos que se sentem preocupados com os rumos que o Brasil tem tomado. Trata-se do chamado marxismo cultural e toda a sua influência na sociedade.

Com o objetivo de despertar os evangélicos para o problema da infiltração do pensamento marxista em nosso meio, o pastor, teólogo e jornalista Eguinaldo Hélio de Souza apresenta o livro “Marxismo Selvagem”. Com edição e distribuição independente, o novo trabalho procura revelar, em forma de manifesto, todo o perigo da chamada revolução cultural e da ocupação de espaços engendradas por Antonio Gramsci, líder do Partido Comunista Italiano no início do século 20.

Ao se aprofundar nos estudos o marxismo, Eguinaldo se disse espantado ao ver cristãos defendendo a ideologia. “Faço parte da geração que viu o comunismo cair e absorvi muitos dos testemunhos mártires que ele produziu. Desde essa época, e mais tarde, ao estudar jornalismo, estudei o marxismo e percebi que se tratava, por incrível que pareça, de uma distorção dos fundamentos do cristianismo”, contou.

O assunto tem sido muito comentado nas redes sociais e mesmo dentro do contexto cristão, cada vez mais textos e palestras tem sido oferecido para preparar a Igreja para esse assunto urgente e importante. Nesse sentido, a obra é um verdadeiro chamado à Igreja para a conscientização e despertar para luta contra uma ideologia que já derramou muito sangue na história.

Para o autor do livro, o movimento revolucionário em suas mais variadas vertentes é na verdade uma religião secular totalitária, tão perigosa para a fé cristã como o islamismo. “Escrevi ‘marxismo Selvagem’ para que as pessoas compreendam o quanto o marxismo é anticristão em suas raízes e seus pressupostos. Meu desejo é que as pessoas tenham seus olhos abertos e percebam que não há como conciliar cristianismo e marxismo”, explicou Eguinaldo.

Tema trazido à tona por filósofos e analistas como Olavo de carvalho e Ben Shapiro entre outros, cada vez mais os cristãos estão percebendo que os fatos estranhos em nossa cultura não são fruto do acaso, mas sim de uma estratégia bem orquestrada que tem métodos e finalidades bem definidas. “Escrevo principalmente como cristão e meu desejo é que os cristãos se conscientizem do que está acontecendo. Principalmente os jovens, que são as principais vítimas dessa ideologia diabólica”.

Sobre o autor e sua obra

Marxismo Selvagem - Eguinaldo Hélio de Souza
Marxismo Selvagem – Eguinaldo Hélio de Souza

Pastor da Igreja Vale da Bênção, onde atua à frente de diversos ministérios, entre eles o ensino mais amplo a partir da Missão Atenas, com a finalidade de defender a fé diante de ideologias e crenças, bem como fomentar o evangelismo desses grupos olhando-os como campo missionário. “O trabalho foi inspirado no encontro de Paulo no Areópago (Atos 17). Dentro da Missão Atenas, estão outros projetos que envolvem estudos em escatologia, preparação de casais para a obra do Reino e Dons e Ministérios do Corpo de Cristo”, explicou Eguinaldo que também escreve artigos para o Gospel Prime e Mídia Sem Máscara.

Para mais informações sobre o livro “Marxismo Selvagem” dede a sua edição, a casa publicadora e sobre como comprar a obra lançada em abril de 2018, com distribuição independente, mas com o selo da Missão Atenas, basta acessar o site www.missãoatenas.com.br/loja ou ainda entrar em contato pelo e-mail [email protected] ou por Whatsapp, no telefone (11) 96362 4164.




Deixe seu comentário!


Mais notícias