Os Quatro Amores, de C.S. Lewis, é relançado

Obra de notório escritor recebeu, também, nova tradução


Os Quatro Amores, de C.S. Lewis, é relançado

O livro Os Quatro Amores, do autor C.S. Lewis, está sendo relançado pela editora Thomas Nelson com nova tradução e projeto gráfico. A obra foi originalmente lançada em 1960.

Os Quatro Amores faz uma análise do que considera quatro tipos de amor – afeição, amizade, eros e caridade – sob a perspectiva teológica e filosófica presente no cristianismo.

A edição da Thomas Nelson abrange um formato de capa dura, 192 páginas e um valor de mercado que é cerca de R$ 35,00. Com este projeto gráfico e nova tradução, a distribuição nacional é exclusivo da editora.

A nova tradução foi executada por dois especialistas da obra de C.S. Lewis, Estevan Kirschner e Gabriele Greggersen, que trabalharam também, de forma específica, em termos que se referem ao anglicanismo, vertente cristã de Lewis.

Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (USP), Gabriel Perissé fez elogios à obra de Lewis. “O cristianismo, segundo Lewis, não é um mero cristianismo, uma bela doutrina a mais”, disse, por meio do Observatório da Imprensa.

“Sua verdade não é aceitável por ser boa para a sociedade ou porque muitas pessoas gostam dela. O cristianismo não é conveniente, útil, provável… Sequer é facilmente compreensível. Não é um ponto de vista qualquer ou um conjunto de ideais que dignificam o ser humano. É mais do que tudo isso”, acrescentou.

Os Quatro Amores, também, foi objeto de influências no meio cristão. Um dos singles de Gerson Borges, “Flora, Flor”, foi inspirado pelo discurso do filósofo na obra. A ideia do cantor é de apresentar mais canções baseadas no livro.

“São tempos duros, de cinismo e individualismos assustadores. Redescobrir o afeto, refletir sobre o desafio de um amor-doação e não apenas do amor-necessidade é uma necessidade espiritual e pastoral”, afirmou Gerson Borges em entrevista a Revista Ultimato.




Deixe seu comentário!